Manifestação ou Previsão?

O conflito entre a leitura do porvir e o nosso poder criador pessoal



Muita gente me procura para leitura de mapa natal e mapa anual. Querem saber o que lhes reserva o ano, mesmo sabendo que eu defendo com vigor o fato de que todos nós podemos criar nossa realidade, a partir das nossas crenças e comportamentos pessoais. E aqui temos uma contradição: se é possível ler o futuro, isto significa que ele já está criado, o que nos transforma em seres passivos na nossa história. Se ele não estivesse criado, a Astrologia não poderia lê-lo. Certo?


Sim e não. E, se formos muito sinceros, eu mesma tenho problemas com essa questão.

Porque eu, como qualquer ser humano, também tenho ansiedades, medos e desejos. Como tal, eu também quero (inúmeras vezes) saber o que me reserva o futuro com respeito a uma situação, relação ou pessoa. Eu também tenho uma astróloga que lê para mim meus mapas anuais, eu também faço leitura de trânsitos e eu, mais do que ninguém, sei que é possível criar o nosso próprio destino. Eu mesma já o fiz inúmeras vezes. Então, como acomodar os dois lados desta história?


Talvez as coisas não sejam tão pretas e brancas. Talvez haja nuances de cinza que estamos ignorando.

Quando eu leio um mapa anual ou um trânsito, eu estou sempre lidando com a decodificação de símbolos. Um mesmo posicionamento ou aspecto no mapa natal pode indicar coisas diferentes e eu tenho que "escolher" qual faz mais sentido dentro do contexto total do tema natal ou anual. Por exemplo, uma pessoa que passa o ano com Netuno na 5 quadrado Júpiter na 2 pode ser alguém que naquele ano gastará muito dinheiro com namorado, com seus próprios prazeres ou com filhos. Se eu olhar aquele Netuno isoladamente no mapa, eu posso dizer que um dos filhos poderá estar perdido e confuso naquele ano, namorando alguém que parece ser algo que não é ou que o nativo poderá estar iludido a respeito de uma pessoa ou relação, com a qual ele precisa tomar cuidado.


Quantas possibilidades! É por isso que eu falo que o mapa indica tendências, não eventos. Assim, com Netuno na 5 há uma tendência a ilusões no que se refere a namoros e filhos e Urano na 4 indica uma tendência a estresses e mudanças radicais dentro de casa.

Mas todo planeta tem seus dois lados. Netuno pode falar de uma conexão espiritual super elevada com alguém, pode falar de amor platônico e pode falar de amor idealizado. De qual maneira aquela energia se manifestará na sua vida sempre depende de você.


Então, talvez, o nosso poder de criação não esteja limitado pelas ferramentas divinatórias?

Sim e não. O problema talvez não seja a leitura do futuro em si, e sim o quanto nós nos deixamos influenciar ou conduzir por tal leitura. Por exemplo, digamos que eu queira muito uma determinada pessoa, que eu acho que retribui meu sentimento, mas eu não tenho certeza. Aí eu procuro um astrólogo que olha no meu mapa uma Netuno-Vênus na 5 e fala que eu estou super apaixonada, mas que eu estou iludida a respeito dos sentimentos da outra pessoa por mim, porque Netuno-Vênus fala de amor idealizado e platônico.


Até então eu estava segura do amor do outro por mim, mas com essa leitura, a minha certeza se debilita e eu saio de lá certa de que meu afeto é unilateral. Por causa disso, eu (que ia me declarar para a outra pessoa) decido colocar o pé no freio nos meus sentimentos e na relação, e me afasto. A minha nova postura a respeito desta pessoa muda completamente a partir da leitura astrológica porque esta mudou a minha crença a respeito da situação. E aqui entra em cena um novo conflito: o resultado da situação mudou como resultado da mudança nas minhas crenças, criada pela leitura astrológica ou o resultado já era aquele previsto pela leitura? Em outras palavras: aquela leitura já era o destino que "estava escrito" ou era uma possibilidade que eu tornei verdade quando dei suporte a ela com a minha crença?


Daí a importância de que leituras preditivas não sejam limitantes e que, ao invés de descrever resultados, descreva o como dos resultados.

Em outras palavras, usando o mesmo exemplo de Vênus e Netuno na 5, uma opção seria dizer: não sei exatamente o sentimento do outro por você, mas posso te falar que Vênus-Netuno fala de amor idealizado e, dentro deste contexto, duas opções são possíveis: ou a conexão de vocês é realmente muito forte e muito pura, ou você não está vendo bem quem o outro é e esta apaixonada por uma idealização sua dele.


Ou: "eu não sei se aqui haverá relacionamento ou não, mas se houver, este terá características bem etéreas, sem forma e será vivido como um sonho completamente idealizado". Talvez se trate disso: de não determinar o que resultado, mas sim o como do resultado, qualquer que seja ele.


Até porque as leituras astrológicas não se manifestam no vácuo. Se você não sair de casa, tiver vida social, trabalhar e viver a vida, não haverá nenhum tipo de amor, idealizado ou não. Um astrólogo pode prever maravilhas para você, mas se você não sair de casa e viver a sua vida, o mapa nunca será ativado. A astrologia acontece no dia a dia, na sua ida ao mercado, quando você abastece o carro e quando participa da festa de fim de ano da empresa.


Então, é possível que as leituras astrológicas não se manifestem conforme descritas? É sim, por vários motivos!

Primeiro, porque precisamos que você suba ao palco da vida e atue para elas se manifestarem. E segundo porque cada previsão pode se manifestar em distintos níveis, desde o mais sutil ao mais concreto, desde o mais positivo ao mais negativo, desde o mais leve ao mais pesado. As escolhas sobre como elas serão manifestadas são suas.


Logo, é melhor saber do futuro ou cria-lo? Acho essa resposta muito particular e que depende de cada pessoa. Se eu quiser MUITO algo, eu tento evitar (TENTO) leituras preditivas para não influenciar a minha crença e comprometer meu poder criativo sobre aquela situação. Mas se a Astrologia for encarada como um conjunto de tendências, a leitura pode ser muito útil. Uma cliente, por exemplo, que está migrando para Londres me perguntou se teria problemas com a imigração local. O mapa dela falava de respeito a autoridade, ao governo, as tradições e as hierarquias estabelecidas. Meu conselho para ela foi: você não precisa ter, se andar muito na linha, porque a tendência é de que o governo esteja em cima de você durante esse período.


Então, talvez não se trate de usar métodos divinatórios ou não, e sim da pessoa que tentará usar o oráculo para te ajudar. Se ela usá-lo para limitar suas opções e ser determinante ou fatalista, talvez seja melhor não usar. Se for para saber quais as condições do caminho que você deseja seguir aquele ano ou em relação a determinada situação na sua vida, talvez valha a pena.